COMO RESOLVER PROBLEMAS COM A CRIATIVIDADE

Chegar à ideias criativas parece algo distante da realidade diária. Isso não é apenas para aqueles que trabalham em áreas administrativas ou operacionais. A dificuldade na concepção de soluções criativas está na vida de todos que foram educados em um pensamento linear e meritocrático.

O pensamento lógico e sistemático embora possa ajudar a organizar as ideias, não deveria ser o ponto de partida para as ideias criativas. As melhores ideias surgem ironicamente de processos orgânicos. Se é que processo seria a nomenclatura ideal.

Embora não acreditemos em fórmulas prontas, separamos algumas sugestões e ferramentas que utilizamos na Uevollu para solucionar problemas e chegar em grandes ideias.

 

CRIATIVIDADE SE CONSTRÓI COM REPERTÓRIO

Certa vez em uma grande agência de comunicação o personagem que chamaremos de Lucas foi convidado para trabalhar em um projeto que envolvia esportes, para ser mais específico, corridas de rua. A dúvida que permeava a sua cabeça era como realizar um bom trabalho e falar com a comunidade running, se nunca havia colocado um tênis de corrida.
A dificuldade do Lucas não era o fato de ele nunca ter praticado um esporte como esse e sim a repulsa que ele sentia a respeito do tema. Ele sempre mudou de canal enquanto os quenianos apareciam na tela da TV em uma manha de domingo. Mais que isso! Ele sempre foi o cara que buzinou, xingou e odiou aqueles que trancavam a saída do seu apartamento durante os fins de semana.
Para ele, praticar esporte se resumia ao futebolzinho e olhe lá. Nada mais justo do que sentir dificuldades ao realizar um trabalho voltado ao esporte.

A corrida de rua é só o pano de fundo para a nossa reflexão. Para ser criativo é fundamental estar aberto a outros horizontes, desenvolver a sensibilidade em relação aos mais diversos temas. Hoje, o termo diversidade está em alta e talvez seja esse o grande segredo daqueles que buscam desenvolver a criatividade. Ter um repertório grande e diverso faz com que as boas ideias surjam de maneira espontânea. Geralmente os aprendizados que você encontra ao longo da vida, não se acham fáceis no Google.

 

PESQUISA É O MOMENTO MÁGICO PARA A CRIATIVIDADE

Em uma palestra durante o curso de pós-graduação o aluno levanta a mão, estufa o peito e se prepara para fazer aquela colocação matadora, de quem realmente conhece do assunto. Após o palestrante apresentar técnicas de desk research, antropologia urbana e outras ferramentas de pesquisa, o perspicaz aluno comenta: “mas isso é fácil tio, é só colocar no Google”.
Com aquela malemolência de um bom palestrante, ele sorri e engole seco o “tio” para trazer a seguinte reflexão.
Realmente tem muitas coisas que se encontram no Google, mas nem tudo está lá. O filtro feito pelo mecanismo de busca não supera os sites específicos que são referenciais para encontrar cases interessantes, tendências relevantes e uma infinidade de elementos necessários para uma boa imersão.
Outro ponto para considerar é que todos querem a criatividade, sem o trabalho braçal. Muitos acreditam que a “big idea” surgirá em um momento descontraído de brainstorm. Certamente essa técnica já resolveu muito a vida das pessoas, mas não é a melhor e nem a única. Investir um tempo precioso em pesquisa e na busca por referências é o caminho mais inteligente para quem deseja se aprofundar na criatividade e acrescentar uma dose de estratégia. A pesquisa tem o poder de abrir a mente!
Quando você vai para o mundo consegue ter uma visão diferenciada da sua problemática. Assim, fica muito mais fácil ser criativo.

 

O SENSO COLETIVO E A CRIATIVIDADE

Em meio aquela loucura que foi o surgimento do Design Thinking nas escolas de criatividade, um planner, de forma despretensiosa segue ouvindo o especialista no assunto. Uma das diretrizes do “doutor em criatividade” é utilizar em processos criativos um número diverso de pessoas. Essa diversidade não diz respeito apenas a quantidade de pessoas, mas à suas características. Se você reune em uma sala um grupo de contadores, sim aqueles da área financeira, eles tem um “modos” operante, uma maneira de pensar, diferente do publicitário, da moça da limpeza e das outras áreas.
Realizar seções de ideações reunindo pessoas de repertórios diferentes auxilia e muito na concepção de ideias criativas. O grande desafio se torna em gerir toda essa equipe.

Mais do que técnicas de criatividade o importante é a busca constante por ela. Ser criativo e inovador deve se tornar um estilo de vida e não somente uma metodologia.

Comments are closed.